Sheila Kunha fala sobre o título conquistado e seus projetos para 2019







A boxeadora Sheila Kunha foi a segunda gaúcha a conquistar um título brasileiro no profissional, apelidada Desassombrada, pesando 64 kg milita atualmente na divisão Welter. Nasceu e reside na cidade de Santa Vitória do Palmar no extremo sul do Brasil tem como limítrofes Chuí, Rio Grande e a cidade uruguaia Chuy. Em sua cidade tem sua academia onde treina e dá aula o CT de Artes Marciais Power Fitness, localizado na Rua 13 de maio, número 414.




Antes do Boxe Sheila praticou Muay Thai, Taekwondo, Hapkido, Capoeira, MMA, Kickboxing e danças também, mas encontrou uma paixão especial no Boxe, onde encontrou oportunidades e em suas próprias palavras disse que pretende chegar a um título Mundial.
Para o título brasileiro que conquistou em 2018 Kunha fez sua preparação o boxeador e treinador Davi Bispo, renonado boxeador e treinador, que viajou de Salvador, Bahia à Santa Vitória do Palmar para a preparação de Sheila Kunha e Orestes Munhoz. Para o treinamento Sheila teve que dividir bem seu tempo, entre dar aula na academia e seu trabalho sua clínica estética, mas pôde chegar tendo que fazer treinos em diferentes horários até mesmo de madruga para conquistar seu objetivo, o título brasileiro.
Em seu combate pelo título nacional Kunha enfrentou a baiana Cátia, segundo Sheila foi uma forte adversária e com a mão pesada, mas que pôde impor seu jogo com sequências, sem dar espaço e sempre pra frente. A vitória veio aos 30 segundos do segundo round.
Ainda não há uma data fixada, mas Sheila confirmou que sim haverá uma revanche e será em Santa Vitória do Palmar, além desta revanche há negociações para outros combates um na cidade de Eduardo Magalhães no estado da Bahia o outro combate seria no Paraguai, em breve Sheila nos vai contar.




Abrimos também este espaço para que Sheila deixe uma mensagem à todas mulheres que estão lendo e têm vontade de praticar um esporte que não seja nescessariamente o Boxe.
¨Entendo à todos que têm dificuldade de começar a praticar artes marciais, geralmente é por falta de informação mesmo, um “pré conceito” formado quanto ao esporte de contato ser agressivo, eu mesmo tive uma grande dificuldade de fazer o primeiro treino, não me via trocando o balé e dança do ventre por esse tipo de esporte, mas logo de treinar me apaixonei, me encontrei e convido à todas e todos a fazer um aula experimental, tenho certeza que esse vai ser o primeiro passo para a grande mudança em suas vidas, e pasmem: É um esporte totalmente seguro e com o menor índice de lesões, desde que treinado com profissionais qualificados.

Por Márcio Reginatto

Tai Chi Básico

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.