Guilherme Prado – Muay Thai

guilherme1

Guilherme Prado é daqueles atletas que não hesita diante das dificuldades, pelo contrário, luta brilhantemente para vencer os obstáculos. Infelizmente, mesmo tendo representado bem o nosso país na Tailândia, ainda não conta com um patrocínio.

Nome: Guilherme Richard de Souza Prado
Data de nascimento: 26/07/1985
Naturalidade: São Paulo
Atleta de Muay Thai
Guilherme Prado
Confira abaixo o bate papo que tivemos com o paulista de 29 anos:

Quando você começou a praticar o Muay Thai?
Há 8 anos atrás.

Além de praticar o esporte, você estuda, ou trabalha?
Trabalho.

Qual foi a principal influência e o maior ídolo nesse esporte?
Tenho como referência o brasileiro Anderson Silva e o tailandês Buakaw, que eu tive o prazer de conhecer na minha viagem para a Tailândia no mês de Março, deste ano, quando disputei o mundial.

Cite os seus principais apoiadores (família, amigos, mestres e etc).
Meu mestre Torão e minha família.

Fale do seu cartel de lutas.
Tenho sete lutas de Muay Thai, sendo cinco vitorias e duas derrotas, no Boxe eu realizei uma luta e perdi.

Fale dos títulos conquistados e onde foram conquistados.
Fui campeão da Copa Piracicaba 2014 e infelizmente em seguida não pude levar adiante os campeonatos por conta do trabalho, pois tive dificuldades financeiras.

Qual foi a sua luta mais difícil, contra quem foi?
Foi contra o canadense na semi-final do mundial, na Tailândia.

Fale um pouco sobre o Campeonato Mundial 2015, na Tailândia.
O Campeonato Mundial na Tailândia foi a experiência mais importante da minha vida, um sonho realizado, foi um orgulho ter lutado e representado meu país e minha cidade de Pindamonhangaba-SP, ter trazido para o Brasil uma medalha, mesmo sendo de Bronze foi muito bom.

Sua vida como atleta melhorou após tais conquistas? e qual a maior dificuldade como atleta?
Ainda não mudou, mas estou lutando e vou continuar para que consiga melhoras e realizações de projetos relacionados a esse tipo de esporte.

Você acredita que ajudar crianças indiretamente a praticarem o esporte e evitarem utilizar drogas, inclusive?
Acredito que sim, pois viramos referência, mostramos que é possível vencer mesmo diante de tantos desafios.

Você realiza algum trabalho social nesse aspecto?
Por enquanto não, é pra isso que preciso também de patrocínio, de ajuda para levar esse projeto adiante e com isso fazer expandir esse tipo de esporte na cidade e com isso ocupando o tempo da molecada para não ter tempo de fazer o que não presta nas ruas.

Como foi custeada sua viagem para Tailândia?
Como não tenho patrocínio, a nossa viagem para a Tailândia foi custeada pela prefeitura da minha cidade, mas a hospedagem e a alimentação, tive que bancar tudo do meu bolso, continuo tentando melhorar isso, em busca de patrocínio.

Cite sugestões de melhoria para o esporte:
Acho que o Muay Thai precisa de atenção, maiores investimentos, incentivo e divulgação. Fui até a terra que iniciou o esporte, trouxe um Bronze para o Brasil, a mídia deu bastante destaque, mas ainda não tive o devido apoio, contudo, continuo lutando e com esperança.

Quais são seus próximos passos no esporte?
Continuar treinando com responsabilidade e dedicação e pretendo participar novamente do Campeonato Mundial que será na Tailândia no início de 2016, se conseguir patrocínio é claro. Agora meu objetivo é chegar lá dentro, onde tem as maiores feras do Muy Thai e trazer o Ouro, eu acredito.

Qual seu maior sonho na vida?
Meu sonho é conseguir um patrocínio e apoio para continuar representando o Brasil através desse esporte apaixonante. Conseguir uma bolsa de estudos para fazer faculdade, e montar minha academia, inclusive para realizar um projeto social.

Admira algum atleta de Boxe ou MMA?
Sim, vários, principalmente José Aldo no MMA, Buakaw no Muay Thai, Popó e Roy Jones no Boxe.

Deixe uma frase aos internautas e fãs.
“Lute pelos seus ideais” e “Recuar? só se for pra ganhar impulso!!”.

Por Eduardo Pimenta – Originalmente postada no Nocaute na Rede