Rene Godoy – Árbitro

rene2

Como você chegou ao Boxe, que idade você tinha?
Foi na agrupação de escoteiros onde eu ia, na provincia do Chaco, Argentina. Eu tinha 12 anos.

Quem foi seu primeiro professor?
Foi Domingo D’Elia, pai do ex-campeão argentino na divisão pesado, Domingo Cacho D’Elia

Como foi foi sua época como boxeador?
Minha passagem como boxeador amador eu considero muita boa e fui muito feliz, fiz 40 combates, com 30 vitórias, 6 empatas e 2 derrotas. Como profissional fiz dois combates.  Minha maior satifação foi ter lutador 7 vezes no Estádio Luna Park (Luna Park é o Palácio do Boxe Argentino)

Porque você começou a arbitrar?
Me inciei na arbitragem porque queria estar ligado ao Boxe de alguma maneira, já que não tenho alma de docente para ensinar o Boxe. Então fiz o curso de árbitro da FAB – Federação Argentina de Boxe.

Como foram seus inicios na arbitragem?
Com muito entusiasmo, as designações da FAB eram descontinuas e muito longe do meu domicílio.

Quais foram os títulos mais importantes que estiveste como árbitro?
O mais importante foi um título latino WBO, em um combate entre Renoni Prieto vs. Maurício Barragan, o outro foi Maria Maderna vs Ruth Aquino por um título sulamericano.

Dirigi por WPC também, fui árbitro de um combate pelo título mundial entre Doming Damigella vs Juciel Nascimento, e um título naciona WPC entre Gonzalo Brest e Carlos Caceres.

Quais são seus planos referentes a arbitragem?
Meus planos como árbitro são seguir trabalhando, fazendo o melhor que eu puder para ter um melhor reconhecimento pela FAB.

Deixe uma mensagem aos fans do Boxe e àqueles que querem começar como árbitro.
A minha mensagem é que o Boxe é um esporte muito nobre e nunca deixe de praticá-lo. Para os que querem ser árbitro, que faça o curso correspondente e sejam concientes que é um trabalho muito importante no ringue.

Por Márcio Reginatto – Boxeando.Net